DOR ABDOMINAL E CISTO OVARIANO

Mais um tema que posso tratar com grande experiência, já que convivo com casos desse tipo todos os dias, várias vezes ao dia! Não é raro uma mulher em idade fértil (entre 12/13 anos até os 45-55 anos) precisar ir a uma emergência de hospital  privado com dor intensa no baixo ventre (ou na pelve) e fazer uma tomografia de abdome total com contraste (eles sempre pedem, a despeito de ser um exame com altos índices de radiação), tendo como resultado, o diagnóstico de cisto ovariano, sendo encaminhada em seguida para realizar uma ultrassonografia transvaginal a fim de confirmar esse diagnóstico!

O que vai acontecer com essa paciente (à partir daí) vai depender basicamente de uma coisa: SORTE!

Parece piada, mas infelizmente não é! É porque a maiorias dos médicos que atendem em emergências e atuam na área de ultrassonografia não têm formação especializada em ultrassonografia (têm apenas uma formação genérica e superficial), e não conseguem fazer um diagnóstico correto em mais de 50% das vezes!

Aqui vale o mesmo comentário que já fiz em outros artigos que escrevi (e também no meu livro): Ultrassonografia é um exame barato e que rende pouco, sendo assim, não há interesse por parte dos radiologistas em conhecer profundamente a área, ou estudar o tema! Como os hospitais também não valorizam o exame, geralmente o mesmo profissional que faz a tomografia e a ressonância magnética, também acaba realizando as ultrassonografias de emergência, para que a operação se torne economicamente viável!

Num mundo mercantilista como o nosso, se busca melhor formação naquilo que rende mais, ou seja: tomografia computadorizada e ressonância magnética! 

A maioria dos radiologistas sai para o mercado de trabalho com uma formação  "capenga" em ultrassonografia, além do mais, pelo medo de processos, há uma tendência generalizada em não se comprometer de jeito nenhum, dando resultados genéricos e deixando o médico que receber o resultado interpretar do jeito que quiser!

O fato é que mais de 99% destes cistos, nessa situação específica descrita acima, representam os chamados "corpos lúteos", e são completamente normais!

Quando a mulher se prepara para ovular, todo mês, o ovário forma um folículo. No meio do ciclo, o folículo se rompe e libera o óvulo, e isso pode causar certa dor que, a depender da situação, pode ser uma dor mais intensa, porém que melhora espontaneamente dentro de poucos dias e sem nenhum tratamento! No local onde o folículo se rompeu, se forma o chamado "corpo lúteo", imagem que se assemelha a um cisto e pode ser muito grande, dependendo da quantidade de sangue que preenche o seu conteúdo! Apesar dessa ocorrência ser normal e não trazer nenhum tipo de risco à saúde da mulher, quanto mais sangue encher o "corpo lúteo", maior será a dor que a mulher pode sentir (chamada "dor da ovulação")!

Se o médico que der o laudo do exame ficar na dúvida e chamar um corpo lúteo normal (ainda que ele seja muito grande) genericamente de cisto, ou de cisto hemorrágico, existe um risco dessa paciente ser operada sem nenhuma necessidade (O médico que receber esse laudo pode interpretar como um cisto verdadeiro, quando na verdade, não é!)

A cirurgia para retirada de cisto ovariano é uma das cirurgias mais mal indicadas que existem na atualidade, muitas vezes resulta de um corpo lúteo ou um folículo normal que poderiam ser observados e iriam fatalmente desaparecer após um mês ou dois de acompanhamento! Como cirurgias são muito rentáveis, o médico sempre tende para esse lado e a paciente, que acha estar recebendo um tratamento adequado, acaba sendo enganada, passando por um risco totalmente desnecessário e pagando um alto preço pelo diagnóstico mal feito!

Se você recebeu um diagnóstico de cisto ovariano recentemente, tenha muito cuidado! Sempre procure duas ou três opiniões antes de fazer a cirurgia! Cistos que não crescem entre um exame e outro não precisam de cirurgia e não devem ser operados, é preciso ter cautela!

Precisando de ajuda ou de uma segunda opinião, coloco-me à disposição através do contato pelo meu site pessoal: 

www.medicinaracional.com.br

Obrigado! Renato Paula da Silva - especialista em ultrassonografia ginecológica e obstétrica. 






Comentários

  1. Eu deveria ter chegado aqui há duas semanas. Quarta gestação, fui fazer a usg para datar, porque tenho gestações prolongadas e no fim preciso negociar dias com GO (o ultimo nasceu com 42+4), e só. Apesar de muito vômito, indisposição e alguma dor no baixo ventre (porque estava vomitando muito, pensei eu), não esperava nada demais do exame. Só datar e dizer que era feto único, porque gêmeos pra quem já tem um trio, é negócio tenso...rs. Saí de lá com "descolamento", indicação de repouso e de progesterona. Avisei à GO, ela sugeriu duas semanas de repouso (o ultrassonografista sugerira quatro) e nem mencionou hormônio, porque já viu que não rola isso comigo. Sei que é pra efeito psicológico, pra mãe sentir que fez o que estava ao alcance. Prefiro auto-hemo. E no fim, "senhora Carolina, tem um cisto aqui também, mas está tudo certo." Agora nem sei se acredito no cisto...hahaha
    Continue divulgando boas informações. A gente já está enjoado - e enojado - desse mania de ver doença/problema em tudo e das respostas serem apenas remédios ou cirugias. Keep going! Carolina Frîncu

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS VISITADAS